domingo, 26 de novembro de 2017

O uso das TCIs na educação e os programas do MEC

O uso das TCIs na educação no Brasil
Não é mais novidade de que as tecnologias e informações digitais estão presentes na vida da grande maioria da população brasileira, especialmente quando pensamos numa sala de aula. Hoje, praticamente, todos os estudantes têm sofisticados celulares em suas mãos, e boa parte deles com acesso ilimitado a internet. De posse desses dois itens o aluno poderá conhecer novos horizontes e aumentar suas possibilidades de aprendizagem. Agora, será que a escola e os professores estão preparados para utilizarem as tecnologias de informação e comunicação, as TCIs, como ferramentas para o ensino?


Bem, é sabido no meio educacional que o MEC em parceria com a UNESCO vem implantando e desenvolvendo diversos programas através de políticas públicas educacionais, objetivando a melhoraria da educação no Brasil, a exemplo do Programa Banda Larga nas Escolas, Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo Integrado), o Banco Internacional de Objetos Educacionais, o Domínio Público, o Projetor ProInfo e Um Computador por Aluno (UCA).

Muito embora, o MEC crie esses programas e tal, sabemos que na prática as coisas não funcionam nos moldes de como estão descritos no papel. Vamos exemplificar:

O uso das TCIs na educação no Brasil

Programa Banda Larga nas Escolas – as poucas escolas que possuem esse recurso, apresentam capacidade limitada de distribuição do sinal de internet e baixa velocidade, não permitindo ao aluno acessar ou baixar documentos ou vídeos a uma velocidade satisfatória que possibilite ao professor dá sua aula de maneira continua, pois a internet é muiiito lennnnnta, isto quando ela está disponível, o que não ocorre na maioria das vezes.

Domínio Público - o Portal Domínio Público propõe o compartilhamento de conhecimentos, colocando à disposição de todos os usuários da rede mundial de computadores uma biblioteca virtual que deverá se constituir em referência para professores, alunos, pesquisadores e para a população em geral. Ótimo, ele de fato vem contribuindo muito para o aprimoramento em relação as dicas de materiais e a abordagem dos conteúdos em sala de aula. Agora, será que todos os professores têm e/ou sabe manusear um computador e/ou programas? Será que todos os professores têm acesso uma boa internet em suas casas para planejar suas aulas?

Leia também:

Um Computador por Aluno (UCA) – onde? Cadê? Talvez os alunos de alguma turma (ou alguns alunos) de uma escola ou outra tenham recebido computadores. O que de fato aconteceu (ou ainda, acontece) de forma esporádica, é a distribuição de tablets para algumas turmas de algumas escolas. Agora, me responda novamente, a sua escola e os professores estão preparados para utilizarem as tecnologias de informação e comunicação, as TCIs, como ferramentas para o ensino aprendizagem? Porque de nada adianta colocar um tablet na mão de um aluno se ele não souber ou não for ensinado a utilizar a favor de seu aprendizado!

O mais curioso nesse programa é que, esses tablets são distribuídos para escolas que se quer têm internet, pelo menos não na prática! Logo, o uso se limita, basicamente, a leitura. É claro que o aluno poderá, se quiser e souber, fazer uso da internet de sua própria casa, caso a tenha internet.

Ao meu olhar, pensando na possibilidade de oferecer ao professor ferramentas que o possibilite executar uma aula melhor de maneira dinâmica e prazerosa para aluno, o MEC deveria ter investido em projetos e computadores para as salas de aula. Me responda, se com o dinheiro investido em 40 tablets distribuídos em uma sala de aula, não teria dado para investir em 1 projetor e 1 computador por sala? Será que de posse desses instrumentos, os professores não ensinariam de forma mais ampla e explorariam mais os conteúdos? Os alunos não teriam um prazer maior pelo aprendizado? Aula não se tornaria menos chata e cansativa, a vista do aluno? Onde o dinheiro teria sido melhor aplicado?

Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo Integrado) – um dos problemas que vejo neste programa é que, a sua aplicação não está voltada para o uso das TCIs na educação, e sim, para ensinar ao professor a manusear um computador e alguns programas básicos de informática. Mas, isto é importante? Claro que é muito importante, porém, o programa não faz distinção daqueles professores que já dominam o básico da informática, e até um pouco mais. A esses já deveriam passar para uma próxima etapa, a de ensiná-los e orientá-los a utilizarem o uso das TCIs na sala de aula, como mais um meio eficaz para o ensino-aprendizagem.

Leia também:

(In)Felizmente, se percebe que algo novo vem acontecendo nas escolas e que nem as escolas e nem os professores, ainda, não têm meios ou não sabem como lidar com tal situação, que é o uso do celular durante as aulas. Relatos de vários professores mostram que é quase impossível conscientizar o aluno para que ele não acesse as redes sociais, pelo menos duas vezes, durante as aulas. Hoje em dia se observa, que o celular faz parte da vida de muitos jovens. Eles têm o celular como algo necessário, como a roupa ou mesmo o alimento que consomem. O uso do aparelho celular é algo indispensável, na visão do estudante, seja qual for a sua finalidade.

O uso das TCIs na educação no Brasil

Sendo assim, o “Brasil precisa melhorar a competência dos professores em utilizar as tecnologias de comunicação e informação na educação. A forma como o sistema educacional incorpora as TICs afeta diretamente a diminuição da exclusão digital existente no país. As TICs nas escolas precisam ter como o objetivo o de melhorar a qualidade do processo ensino-aprendizagem, entendendo que o letramento digital é uma decorrência natural da utilização frequente dessas tecnologias”, afirmam dirigentes da UNESCO.

Existem diversos pontos, os quais devem ser levados em conta quando se procura responder a questões como: “como as TICs podem ser utilizadas para acelerar o desenvolvimento em direção à meta de "educação para todos e ao longo da vida"? Como elas podem propiciar melhor equilíbrio entre ampla cobertura e excelência na educação? Como ela pode contribuir para reconciliar universalidade e especificidade local do conhecimento? Como pode a educação preparar os indivíduos e a sociedade de forma a que eles dominem as tecnologias que permeiam crescentemente todos os setores da vida e possam tirar proveito delas?”

Leia também:

Apesar de não ser coisa nova, o uso de computadores na educação, e que o MEC vem trabalhando para melhorar a educação no Brasil, a própria UNESCO alerta e aponta algumas soluções para o uso eficiente das TICs na educação dos estudantes:

Primeiro, as TICs são apenas uma parte de um contínuo desenvolvimento de tecnologias, a começar pelo giz e os livros, todos podendo apoiar e enriquecer a aprendizagem.

Segundo, as TIC, como qualquer ferramenta, devem ser usadas e adaptadas para servir a fins educacionais

Terceiro, várias questões éticas e legais, como as vinculadas à propriedade do conhecimento, ao crescente tratamento da educação como uma mercadoria, à globalização da educação face à diversidade cultural, interferem no amplo uso das TIC na educação.

O que você tem a dizer do uso das TICs em sua escola e sobre as aplicações de alguns programas do MEC?

Um mol de abraços... volte sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

@ Para dúvidas e/ou sugestões envie-nos um e-mail;
@ Divulgue seu blog no Educadores Multiplicadores
@ Seus comentários são reagentes para as nossas postagens!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...