sábado, 20 de dezembro de 2014

5 Poluentes que mais matam no mundo x 15 Países mais poluentes do mundo

Por poluição entende-se a introdução pelo homem, direta ou indiretamente de substâncias ou energia no ambiente, provocando um efeito negativo no seu equilíbrio, causando assim danos na saúde humana, nos seres vivos e no ecossistema ali presente. Os agentes de poluição, normalmente designados por poluentes, podem ser de natureza química, genética, ou sob a forma de energia, como nos casos de luz, calor ou radiação. Mesmo produtos relativamente benignos da atividade humana podem ser considerados poluentes, se eles precipitarem efeitos negativos posteriormente.

15 Países mais poluentes do mundo

- 1º: China
- 2º: Estados Unidos
- 3º: Índia
- 4º: Rússia
- 5º: Japão
- 6º: Alemanha
- 7º: Coreia do Sul
- 8º: Canadá
- 9º: Arábia Saudita
- 10º: Irã
- 11º: Grã-Bretanha
- 12º: Brasil
- 13º: México
- 14º: Indonésia
- 15º: África do Sul

Leia também: 


5 Poluentes que mais matam no mundo



Entende-se por poluição todo o tipo de contaminação do meio ambiente de forma a degradar a sua composição natural, existem muitos tipos de poluição e varias ações, principalmente humanas, de se poluir o meio ambiente, normalmente ocorre poluição pela liberação de lixo orgânico, industrial, gases poluentes, objetos materiais, elementos químicos, entre outros que polui tanto a  atmosfera, as águas e também o solo, a poluição sonora, a térmica, atmosférica, por elementos radioativos, por substâncias não biodegradáveis, por derramamento de petróleo e, também causas grandes danos ao meio ambiente e ao homem, e grandes liberação de poluentes. Abaixo uma relação dos maiores poluentes que mais matam no mundo.


.

1. Reciclagem de baterias

Apesar de serem recarregáveis, o desgaste de baterias chumbo-ácidas (usadas em automóveis para partida, iluminação e ignição) diminui sua capacidade de acumular energia elétrica. O problema é que, quando estas baterias são recicladas, os metais são separados dos plásticos para a reutilização dos materiais na cadeia produtiva. Este tipo de atividade libera chumbo no meio ambiente e contamina os trabalhadores e a população, podendo causar problemas neurológicos e de desenvolvimento.

2. Fundição de chumbo

A fundição é um processo industrial que trata os minérios de chumbo para remover as impurezas para a produção do chumbo metálico. Emissões atmosféricas podem conter vapores de chumbo e pó, enxofre e dióxido de carbono, além de finas partículas de poeira com arsênio, antimônio, cádmio, cobre e mercúrio. Nos processos de fundição sem controle da poluição, emissões atmosféricas podem chegar a conter até 30 kg de chumbo por tonelada métrica de chumbo produzido.

3.  Mineração e processamento de minérios

O processo de remoção de minérios, minerais, metais e pedras preciosas da terra é importante para produção dos mais variados produtos e materiais, mas pode trazer também grandes impactos à saúde humana. Normalmente, o minério extraído é transportado para instalações onde é processado, lavado e separado para obtenção de minerais.

4. Operações de curtume

Antes de chegar às lojas (ou às suas calças), o material que constitui esse e outros produtos similares passou por um conjunto de procedimentos que recebe o nome de curtimento. É através deste processo que as peles de animais são tratadas e transformadas em couro. E, como você pode imaginar, transformar a pele dos bichinhos em matéria prima para produção de sapatos requer o uso de uma quantidade grande de produtos químicos. Enquanto em fábricas regulamentadas o impacto ambiental é controlado, em operações informais o risco de contaminação cresce. Na Índia, por exemplo, 75% dos curtumes foram produzidos em operações de pequena escala em 2011, em locais onde geralmente faltam recursos para investir em mecanismos de controle eficiente da grande quantidade de resíduos produzidos.

5. Lixões industriais e municipais

Lixo doméstico, pilhas, sucata e resíduos agrícolas, hospitalares e de processos industriais. Em aterros sanitários regularizados há controle e separação dos resíduos – encaminhando materiais cancerígenos, corrosivos, tóxicos ou inflamáveis para tratamento. Mas nos lixões e locais de despejo irregulares tudo está junto e misturado. O resultado não poderia ser outro se não a ampla contaminação do solo, dos lençóis freáticos e da população. A maior parte destes lixões está localizada na África, no Leste Europeu e nos países do norte da Ásia e os impactos na saúde causados por estes poluentes incluem câncer pulmonar, problemas neurológicos e doenças cardiovasculares.

Leia também:


Como combater a poluição atmosférica?
Reduzir a poluição é hoje uma das principais preocupações da maioria dos países do mundo. Porém, não obstante a vasta legislação que tem sido publicada visando essa redução, a tarefa não é fácil, pois exige uma ação internacional concertada (recorde-se que a poluição não conhece fronteiras), enormes investimentos e a intervenção ativa de todos os cidadãos, em geral, e das empresas, em particular.
É evidente que não se podem fechar as fábricas e mandar parar os automóveis e os aviões. Por isso, a diminuição da poluição tem de passar por um conjunto muito vasto de medidas, de que se dão a seguir alguns exemplos:

  • Instalação nas fábricas de dispositivos (catalisadores) que retenham os fumos e os gases, podendo estes ser até reutilizados como fontes energéticas. De acordo com o princípio de que "deve pagar quem polui", esta medida tem já caráter obrigatório em vários países industrializados, relativamente a muitas indústrias;
  • Utilização de tecnologias alternativas, ou seja, de tecnologias diferentes que reduzam o consumo de energia, tornem a indústria menos poluidora (tecnologias limpas) e valorizem os resíduos;
  • Aplicação de catalisadores em todos os automóveis novos, de modo a diminuir o máximo de emissão de fumos e gases e a redução da quantidade de chumbo e enxofre nos combustíveis (gasolina, gasóleo). Pensa-se que estas medidas reduzirão entre 70% e 90% a poluição do ar provocada pelos veículos motorizados;
  • Obrigatoriedade de inspeções periódicas a todos os tipos de veículos automóveis no que respeita aos níveis de poluição atmosférica (nomeadamente a emissão de fumos) e sonora (especialmente sobre o nível de ruído dos tubos de escape), como já acontece em muitos países;
  • Substituição de alguns produtos químicos industriais perigosos, como, por exemplo, os que têm levado à destruição da camada do ozônio.



Sem dúvida que a aplicação de tais medidas, que não se esgotam aqui, contribuiriam de modo decisivo, para "uma atmosfera mais limpa". A sua aplicação tem custos elevados, incompatíveis para muitas empresas. Mas, não é por isso que não devamos continuar na busca por um mundo mais próspero e mais limpo para as próximas gerações.
Fontes:  
http://super.abril.com.br/; http://www.fragmaq.com.br/ e http://www.explicatorium.com/.

2 comentários:

  1. Que as realizações alcançadas neste ano, sejam apenas sementes plantadas que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro. Feliz Natal e boas festas!
    http://www.luceliamuniz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado Lucélia, que as suas palavras sejam também realizadas em sua vida.

    ResponderExcluir

@ Para dúvidas e/ou sugestões envie-nos um e-mail;
@ Divulgue seu blog no Educadores Multiplicadores
@ Seus comentários são reagentes para as nossas postagens!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...